Recusa alimentar na infância: veja 6 dicas para a criançada comer bem!

recusa alimentar

A recusa alimentar é algo bem frequente entre crianças, especialmente na primeira infância, quando os hábitos alimentares começam a ser construídos. Apesar disso, muitos pais e mamães por aí acabam cometendo alguns erros sem querer.

Assim, o resultado é que os pequenos vão ficando cada vez mais resistentes aos alimentos nutritivos e saudáveis. Mas não se desespere! Hoje, vamos ajudar você com dicas práticas para estimular o apetite por comida de boa qualidade. Quer seus filhos se deliciando com frutas, legumes e verduras? Então venha com a gente!

Como surge a recusa alimentar?

Como já dissemos, não é nada raro a criança não querer comer. Essa falta de fome pode ser por causa de alguma doença em seu início ou até mesmo pelo simples sentimento de que eles estão satisfeitos. Porém, quando a criança não quer a comida, mas aceita doces, é sinal de alerta. Veja a seguir fatores que podem desencadear a recusa alimentar.

Troca de alimentos saudáveis por nocivos diante da negativa da criança

Infelizmente, esse é um erro comum. Afinal, quando o filho não quer se alimentar, vem aquela enorme preocupação. Nesses instantes, não ofereça guloseimas nem qualquer outro tipo de comida. Portanto, por mais doloroso que seja, respeite quando a criança não quiser comer sem oferecer “porcarias”.

Exagero na comida industrializada

Bolachas, biscoitos e salgadinhos de pacote despertam a hiperpalatabilidade. Ou seja, esse tipo de produto traz uma overdose de sabor. Como efeito, a criança sente um prazer enorme quando ingere essas coisas.

Porém, quanto mais os pequenos se acostumam com esses supersabores, menos eles vão apreciar o gostinho da comida natural.

Refeições com celular e televisão

Deixar os pequenos comerem em frente à TV ou com o celular do lado também favorece a recusa alimentar. Dessa maneira, a criança mal percebe aquilo que comeu. É muito importante que as crianças comam com calma, prestando atenção nos gostos, texturas e aromas. Ou seja, crianças expostas a telas na hora de comer não é nada bom.

Como a má alimentação atrapalha a saúde da garotada?

Os hábitos alimentares ruins são muito perigosos e representam um risco real para a saúde do corpo e da mente. Veja a seguir algumas doenças que a alimentação desequilibrada pode provocar:

  • Obesidade: acomete crianças que rejeitam comida natural, mas adoram doces, frituras e industrializados;
  • Anemia: com muito alimento pobre em nutrientes no cardápio, acaba faltando substâncias essenciais para o organismo, como o ferro;
  • Diabetes infantil: doença relacionada ao exagero na comida rica em açúcar e farinha branca;
  • Hipertensão: consumo de alimentos com muito sal. Se a criança tiver problemas de pressão alta na família, será preciso reforçar a atenção.

Como lidar com a recusa alimentar?

A forma como lidamos com a comida nos primeiros anos da criança traz consequências para o resto da vida. Por isso, a alimentação deve ser um instante de afeto, de prazer e de diversão. Mas o que fazer no dia a dia para enfrentar a recusa alimentar? Veja a seguir 6 dicas incríveis!

1. Não obrigue a criança a comer

Quando a criança não quiser comer, retire o prato sem estressar. No entanto, lembre-se de não trocar a refeição à mesa por nenhum outro tipo de alimento, principalmente aqueles mais gordurosos e calóricos.

2. Tenha sempre alimentos frescos

Sempre que possível, tenha alimentos frescos: alface, tomate, legumes e verduras. Isso é importante não apenas para a boa nutrição, mas também para reduzir a ingestão de conservantes e corantes da comida industrial.

3. Dê o exemplo

Não adianta combater a recusa alimentar se os pais também comem de maneira inadequada. Assim, aproveite essa necessidade das crianças para melhorar seus próprios hábitos.

4. Sirva comida úmida

Alimentos umedecidos são mais aceitos nessa faixa etária por causa da mastigação, que ainda está se desenvolvendo. Assim, caldinho de feijão, azeite, sopa, molho de tomate natural tendem a fazer mais sucesso.

5. Não use a aceitação da comida como moeda de troca

A negociação dos pais em relação à comida é péssima para a boa alimentação. Por exemplo, fazer uma proposta assim: “Se comer, eu te levo no parque”. Ou então: “Se comer, vou comprar tal brinquedo”.

Isso acaba deixando as crianças menos dispostas a aceitar o alimento saudável. Afinal, elas saberão que, se recusarem, terão alguma recompensa.

6. Cozinhe com seus filhos

Uma ótima maneira de combater a recusa alimentar é cozinhar junto com a criança. Assim, você pode propor uma verdadeira missão: preparar a refeição da família!

Dessa forma, comece a aventura pelo supermercado. Permita que seus filhos façam algumas escolhas. Assim, os pequenos terão uma experiência incrível. Afinal de contas, amassar, cortar e mexer a comida é algo que atrai o interesse deles. Para finalizar, faça uma apresentação especial para os pratos, com temas divertidos.  

Portanto, a recusa alimentar é um problema sério, mas que pode ser resolvido com amor, paciência, esforço e discernimento dos pais. Sim, o comportamento da família é essencial.

Por esse motivo, faça com que a hora de comer seja um evento de união, de amor, de gratidão pelos alimentos e de aprendizagem cultural. Quer saber mais sobre a relação das crianças com a comida? Então leia também nosso post “Quais são os benefícios da culinária infantil”.